Tempo São Paulo, SP

JORNAL DO MEIO AMBIENTE DO ESTADO DE SÃO PAULO

Últimas Notícias

Especialistas debatem gerenciamento costeiro

10/16
12:13 2018

Em Florianópolis, pesquisadores discutem medidas para conter outros riscos no litoral. Programa do MMA para conservação da linha de costa é destaque.



Pesquisadores e especialistas em temas como erosão costeira, ecologia e morfodinâmica de praias se reunirão ao longo desta semana em evento com o objetivo de discutir medidas voltadas para a costa brasileira. A 11ª edição do Encontro Nacional de Gerenciamento Costeiro (Encogerco) e a 2ª edição do Simpósio Brasileiro sobre Praias Arenosas (SBPA) começaram nesta segunda-feira (15) e seguem até sábado (20), em Florianópolis (SC).

 

Confira a programação 



O encontro terá uma programação técnico-científica composta por temas técnicos relacionados a praias, gestão e governança costeira. O objetivo principal é facilitar o acesso a metodologias e técnicas contemporâneas, integrar pesquisadores e apresentar atualizações em políticas internacionais e regionais diretamente relacionadas ao tema.

 

O coordenador-geral de Gerenciamento Costeiro do Ministério do Meio Ambiente (MMA), Régis Pinto de Lima, estará na mesa de abertura e fará a palestra A gestão na zona costeira tendo como foco os riscos costeiros e a qualidade ambiental. Segundo ele, um dos grandes temas do evento será o Programa Nacional para a Conservação da Linha de Costa (Procosta), iniciativa permanente de planejamento e gestão da zona costeira com caráter territorial, instituída por portaria publicada em março de 2018. A inciativa foi apresentada na Organização das Nações Unidas, durante a Conferência sobre os Oceanos.

 

A integração do Procosta com outros órgãos federais, universidades, municípios e estados também é necessária, de acordo com Régis Pinto. “Essa é a proposta do evento: pensar em uma política pública, em uma estratégia para esse enfrentamento que já é uma realidade, tendo em vista que, diariamente, temos notícias de inundações e erosões costeiras”, explica.

 

EROSÃO

 

Atualmente, 40% da costa brasileira encontra-se em processo de erosão, segundo dados do Programa de Geologia e Geofísica Marinha (PGGM). “Isso significa dizer que 40% da costa brasileira está em perigo. Os riscos costeiros de uma situação como esta são possíveis perdas sociais, econômicas e ambientais”, alerta Régis Pinto de Lima. Em alguns locais, como em Santa Catarina, esses riscos têm se tornado cada vez mais graves.

 

Além do processo de erosão, o coordenador-geral explica que eventos extremos causados pela mudança do clima vêm ocorrendo com mais frequência e intensidade, como ciclones, grandes ondas e marés meteorológicas. “São eventos que causam grandes prejuízos em Santa Catarina, muitas vezes com chuvas associadas a grandes marés e ventos que provocam inundação de cidades costeiras, como acontece em Itajaí”, exemplifica.

 

Coletar e integrar dados sobre temas como geomorfologia da costa e meteorologia com foco em previsões oceanográficas é outo desafio, segundo ele. “Precisamos desses dados para fazer modelagens costeiras e ter cenários em que possamos prever onde há mais riscos costeiros, para então criar estratégias de adaptação”, resume Régis Pinto de Lima.


Fonte: Portal MMA

 

 

Comentários (0)

Escreva um comentário





Comentários


Mais Notícias

Pará sedia seminário de educação ambiental Leia Mais!
MMA assina acordo para proteger Caatinga, Pampa e Pantanal Leia Mais!
Brasil apresenta avanços em convenção sobre biodiversidade Leia Mais!
PREMIAÇÃO PROJETO REVIVA O ÓLEO 2018 Leia Mais!
Menos desperdício, mais conscientização Leia Mais!
Por ações ligadas ao meio ambiente, Asia Shipping recebe Selo Verde Leia Mais!
Ibama desativa garimpos ilegais em dois parques nacionais no PA Leia Mais!
Fundo Amazônia atinge 1 bilhão em desembolsos Leia Mais!
Iniciativa mostra como aproveitar alimentos Leia Mais!
Oficina: áreas prioritárias para conservação da Mata Atlântica Leia Mais!
MMA promove semana contra desperdício de alimentos Leia Mais!