Tempo São Paulo, SP

Últimas Notícias

País protege espécies migratórias silvestres

01/25
14:00 2018

Pela primeira vez, Brasil publica lista de animais migratórios com captura proibida por convenção internacional.



Toninha (Pontoporia blainvillei), tartaruga-de-pente (Eretmochelys imbricata), pássaro-preto-de-veste-amarela (Agelaius flavus), baleia-franca-austral (Eubalaena australis), boto cinza (Sotalia fluviatilis), peixe-boi-da-amazônia (Trichechus inunguis) e boto-cor-de-rosa (Inia geoffrensis) estão entre as 647 espécies migratórias de animais silvestres que necessitam de proteção por sofrerem algum grau de ameaça de extinção. Eles integram lista inédita no país, publicada pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) no Diário Oficial da União desta quarta-feira (24).



A relação completa inclui espécies como baleias e golfinhos, além de tartarugas, aves e morcegos, que necessitam de medidas destinadas à conservação e restauração dos habitats. O instrumento legal brasileiro atende às decisões aprovadas durante a 12ª Convenção sobre Espécies Migratórias de Animais Silvestres (CMS), realizada em Manila, Filipinas, de 23 a 28 de outubro do ano passado.



“Esta Portaria é o primeiro ato que traz concretude para que o Brasil, de fato, inicie a implementação da CMS e promova, de forma plena, a conservação das espécies migratórias que passam parte de sua vida no território nacional”, explica o diretor de Conservação e Manejo de Espécies do MMA, Ugo Eicher Vercillo.



A Portaria Número 12 do MMA atende às regras estabelecidas pela Convenção que passou a ter efeito legal no Brasil em 2017, quando foi editado o Decreto 9.080 de 2017.



PROTEÇÃO



De acordo com a Convenção, é proibida a captura dos animais descritos no Anexo I por estarem submetidos a algum tipo de ameaça, a não ser para fins científicos, para melhorar a propagação ou a sobrevivência da espécie em questão, ou no caso de algum dos animais identificados fazer parte da subsistência de certa comunidade, mas com a devida autorização.



Já o Anexo II lista aquelas espécies cujo estado de conservação é desfavorável e a conservação e gestão exigem a conclusão de acordos internacionais, como o boto cinza, golfinhos, albatrozes e petréis. Algumas espécies podem estar presentes nos dois anexos.



A Lista de Espécies Migratórias publicada pelo Ministério do Meio Ambiente contém todas as espécies relacionadas nos Anexos I e II da CMS, com destaque para as que ocorrem no Brasil (range state ou estado da área). A analista ambiental Krishna Barros Bonavides, do Ministério do Meio Ambiente, esclarece que “os países-partes que são estados da área de distribuição de espécies do Anexo I são obrigados a lhes conceder uma proteção rigorosa”.



Ela complementa: “Outras espécies migratórias que necessitam ou se beneficiam significativamente da cooperação internacional estão listadas no Anexo II. Esses animais constituem a base para o estabelecimento de instrumentos regionais ou globais dentro da CMS”.



ACORDOS



A Convenção sobre a Conservação das Espécies, da qual o Brasil se tornou parte em 1º de outubro de 2015, é a única organização intergovernamental global, ligada às Nações Unidas, criada exclusivamente para a conservação e gestão de espécies migratórias. A CMS é um tratado entre os países-partes que se preocupa com a conservação da vida selvagem e dos habitats em escala global, abrangendo grupos migratórios terrestres, aquáticos e aéreos.



A publicação da lista, de acordo com Krishna Bonavides, faz parte do processo de internalização e implementação das decisões da Convenção sobre Espécies Migratórias e “é uma forma de divulgar as espécies presentes nos seus anexos”, reforça.



Segundo Krishna Bonavides, apoiada por evidências científicas confiáveis, a decisão sobre a inclusão ou exclusão de espécies nos Anexos da CMS é tomadas pelos países que compõe o acordo durante as Conferências das Partes (COP), que são realizadas a cada 3 anos. A Portaria nº 12/2018 entra em vigor a partir desta sexta-feira, 26 de janeiro.


Fonte: Portal MMA

 

 

Comentários (0)

Escreva um comentário





Comentários


Mais Notícias

Um Grito de Socorro, os Macacos não transmitem a Febre Amarela Leia Mais!
Evento discute recuperação de rios urbanos Leia Mais!
Secas extremas na Amazônia superam os impactos pelo desmatamento Leia Mais!
Especialistas debatem mudança do clima Leia Mais!
Falta de gelo deixa urso-polar sem energia Leia Mais!
Terra do Meio recebe 2 mil hectares em doação Leia Mais!
Campanha incentiva reciclagem de lâmpadas Leia Mais!
Consulta sobre novas UCs será nesta semana Leia Mais!
Ministério quer tornar rio Negro sítio Ramsar Leia Mais!
Aquecimento global pode ultrapassar 1,5°C em cinco anos, diz agência britânica Leia Mais!
Governo estrutura programa de conservação da linha da costa Leia Mais!