Tempo São Paulo, SP

Últimas Notícias

O clima da semana: uma Renca de problemas e a tragédia na Ásia

09/04
13:01 2017

Um pouco sobre os principais acontecimentos que movimentaram a pauta ambiental: as idas e vindas da RENCA, os estragos do furacão Harvey e as monções da Índia, que deixaram 1.500 mortos



A semana começou e terminou sob a sombra da Renca, a reserva minerária do tamanho do Espírito Santo criada pelos militares e que o governo Temer extinguiu, ressuscitou e extinguiu de novo em quatro dias. O episódio gerou uma comoção nacional tão grande que Temer foi forçado a suspender o efeito do decreto por 120 dias para abrir um “debate com a sociedade”.



A Renca (Reserva Nacional de Cobre e Associados) está sobreposta a várias áreas protegidas numa das regiões mais preservadas da Amazônia. Na segunda-feira (28), diante de uma grita nacional contra o fim da reserva que botou a Amazônia nos trending topics do Twitter, Temer mandou os ministros de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, e do Meio Ambiente, José Sarney Filho, recuarem do decreto de extinção publicado no dia 24, mas sem recuar: o decreto foi revogado e um outro publicado em seu lugar no dia seguinte, explicitando melhor a questão da preservação ambiental (mas dizendo a mesma coisa). O PSOL e a Rede pediram ao STF que julgasse a legalidade do ato, mas a pauta caiu no colo de Gilmar Mendes, amigo-de-fé-irmão-camarada de Temer.



Na terça, o OC revelou que a extinção da reserva atropelara um parecer do Ministério do Meio Ambiente que desmentia a versão da Presidência de que a reserva “não é um paraíso” (apenas 1,1% de sua área estava desmatada) e dizia que sua revogação poderia abrir uma nova frente de desmatamento.



Na quarta-feira, um juiz de Brasília concedeu uma liminar sustando o decreto presidencial de extinção da reserva. No mesmo dia, a Frente Parlamentar Ambientalista realizou um ato na Câmara com ambientalistas contra os retrocessos ambientais temeristas. A ONG Avaaz entregou aos deputados uma petição com mais de 700 mil assinaturas pela manutenção da Renca.



Na quinta à noite o governo capitulou: às 21h36, o ministro Coelho Filho soltou uma nota à imprensa anunciando a paralização de todos os procedimentos relativos a direitos minerários na área por quatro meses, “em respeito às legítimas manifestações da sociedade e a necessidade de esclarecer e discutir as condições que levaram à decisão de extinção da Renca”. A ver se a poeira abaixa e Gisele Bündchen larga do pé do presidente.



Totalmente inviável



Enquanto Michel Temer brigava com Caetano Veloso e Anitta pelas terras Amazônicas, a presidente do Ibama, Suely Araújo, brigava com as petroleiras pelos mares. Na noite de segunda, ela deu um ultimato à francesa Total, que tenta licenciar atividade de exploração na foz do Amazonas (próximo ao recém-descoberto banco de corais). Segundo o despacho de Araújo, a Total ainda não cumpriu as condições para receber a licença, e o processo será arquivado se ela não responder aos questionamentos do órgão ambiental.



Houston, vocês têm um problema



O furacão Harvey desabou sobre o Texas na sexta-feira passada e deixou um terço de Houston, a quarta maior cidade do país, debaixo d’água. Em alguns lugares, choveu em três dias mais de 1.200 milímetros, que é o que chove no Rio de Janeiro durante um ano. É provável que Harvey tenha sido a pior tempestade a atingir os EUA em volume de chuva (embora o furacão Katrina, em 2005, tenha causado muito mais destruição). Por ter atingido a maior zona de refino de petróleo do planeta, o Harvey fez o preço da gasolina disparar – 2,7% somente no Brasil a partir de sábado, segundo a Folha de S.Paulo.



De acordo com o New York Times, uma combinação de fatores deixou a tormenta tão poderosa: um Golfo do México mais quente (portanto, com mais vapor na atmosfera para alimentar furacões); uma falta de ventos na alta atmosfera que pudessem acelerar a dissipação do evento (e que especialistas atribuem ao degelo do Ártico, que mexeu com as correntes de jato); e uma ressaca violenta, cortesia do aumento do nível do mar. Até sexta-feira, o saldo era de 39 mortos.



Mas… e Bengala?



Enquanto a cobertura de imprensa e as atenções mundiais se voltam para os EUA, menos olhares recaíram sobre uma tragédia humana incomparavelmente maior: as monções deste ano, que deixaram 1.500 mortos na Índia, em Bangladesh e no Nepal. Mais fortes do que de costume (e adivinhe a quem agradecer), as chuvas arrasaram a província de Bengala Oeste, na Índia. Em Bombaim, capital financeira do país, 33 pessoas morreram no desabamento de um prédio centenário que não resistiu à água. Leia o relato no Climate Home.



Tribunais do clima



Embora a tarefa de atribuir eventos extremos individuais como o Harvey e as monções à mudança climática seja notoriamente espinhosa, um grupo de advogados alertou nesta semana que esse tipo de estudo está cada vez mais frequente e mais preciso. O resultado, preveem, será uma onda de ações judiciais contra governos e empresas de gente prejudicada pelo aquecimento global em busca de ações de corte de emissões, adaptação e reparação por prejuízos sofridos. Relatamos aqui.



O polo Norte esteve aqui



A Rússia comemorou nesta semana um feito agourento: um petroleiro carregado de gás natural liquefeito atravessou pela primeira vez a Rota Marítima do Norte, que vai até a Ásia pelo litoral ártico russo, sem ajuda de um quebra-gelo. O regime de Vladimir Pútin espera viabilizar o transporte de cargas por essa via, antes permanentemente congelada, para tornar economicamente atraentes projetos de óleo e gás no Ártico.


Fonte: Observatório do clima

 

 

Comentários (0)

Escreva um comentário





Comentários


Mais Notícias

Taxa de desmatamento cai, mas Temer segue ven... Leia Mais!
País reforçará ação climática com a sociedade Leia Mais!
País fortalece economia de baixas emissões Leia Mais!
Ibama protege quelônios no Amazonas Leia Mais!
Corredor ecológico não salva espécies do aque... Leia Mais!
Proteção da Amazônia “pra gringo ver” Leia Mais!
Ibama renova adesão ao programa A3P Leia Mais!
Fundo do clima dará US$ 500 mi para combater ... Leia Mais!
Projeto Reviva o Óleo realiza premiação em Po... Leia Mais!
Mudas e sementes têm nova legislação Leia Mais!
SEFAC Inicia projetos de pesquisa e desenvolv... Leia Mais!