Tempo São Paulo, SP

Últimas Notícias

Para brasileiro, mudança climática é maior ameaça à segurança

08/03
12:16 2017

América Latina e na África, regiões do planeta que mais devem sofrer com os graves impactos das transformações causadas pelo clima, registram preocupação acima da média; levantamento de organização americana ouviu mais de 40 mil pessoas em 38 países



 Os brasileiros consideram a mudança climática a principal ameaça à segurança do país e do planeta – acima do terrorismo e da economia. Os dados são de uma pesquisa de opinião divulgada na última terça-feira pelo Pew Research Center, um instituto de pesquisa sobre tendências globais com sede em Washington. O país é uma das sete nações latino-americanas ouvidas, que colocaram as mudanças climáticas como a ameaça mais relevante da atualidade. Situação semelhante foi registrada na África, onde quatro dos seis países analisados pelo estudo destacaram as transformações no clima como o perigo mais relevante do país.



O levantamento mapeou o grau de sensibilidade de 38 países a oito graves ameaças globais: ataques cibernéticos, situação da economia global, poderio americano, poderio chinês, refugiados, influência russa, ameaça do Estado Islâmico e das mudanças climáticas. No total, foram ouvidas 41.953 pessoas.



A Espanha lidera o ranking geral dos países que colocaram as ameaças climáticas no topo das preocupações nacionais. Estima-se que 89% dos espanhóis considerem as alterações ambientais como a ameaça mais importante para a nação. O país já sofre com os efeitos da mudança no clima e teme que a diminuição das chuvas e a elevação do nível do mar afetem o turismo, uma das principais fontes de renda da população. Atrás da Espanha, no ranking geral, aparece a Suécia (64%), seguida pelo Canadá (60%). O Brasil ocupa a 11a posição global, e os Estados Unidos, a 27a.



A América Latina e a África foram os dois blocos de países que demonstraram maior preocupação com as mudanças climáticas. Os chilenos são os latino-americanos mais preocupados (86%) com o clima, seguidos pelos peruanos (79%) e argentinos (76%). Já no continente africano, o ranking é liderado pelo Quênia (76%), seguido pela Tanzânia (64%), África do Sul (59%) e Senegal (56%).



O alto índice de preocupação de países da África e da América Latina se explica especialmente pelas dificuldades com a produção de alimentos, o aumento da incidência de doenças e a intensificação dos eventos climáticos extremos. O Brasil aparece na lista dos dez países mais afetados pelas mudanças do clima, ao lado de países africanos, de acordo com o último relatório da ONG Germanwatch, que monitora as políticas climáticas de diversos países. E, ainda que a África produza menos de 5% das emissões de gases de efeito estufa, será um dos mais atingidos pela miséria acentuada pelas alterações no clima, revela o Global Climate Risk Index, o Índice Global de Risco Climático.



“O Brasil é muito vulnerável e o brasileiro já seu deu conta disso. Mas existe um abismo entre o mundo real, a opinião pública e o comportamento do presidente Michel Temer e da bancada ruralista”, disse Carlos Rittl, secretário-executivo do Observatório do Clima. “Temer decidiu ignorar o mundo real e a opinião pública e troca favores por proteção da bancada ruralista. O resultado é a ameaça de o Brasil se tornar um problema maior para o clima do planeta que Donald Trump e o os republicanos do Congresso americano.”


Fonte: Observatório do clima

 

 

Comentários (0)

Escreva um comentário





Comentários


Mais Notícias

Taxa de desmatamento cai, mas Temer segue ven... Leia Mais!
País reforçará ação climática com a sociedade Leia Mais!
País fortalece economia de baixas emissões Leia Mais!
Ibama protege quelônios no Amazonas Leia Mais!
Corredor ecológico não salva espécies do aque... Leia Mais!
Proteção da Amazônia “pra gringo ver” Leia Mais!
Ibama renova adesão ao programa A3P Leia Mais!
Fundo do clima dará US$ 500 mi para combater ... Leia Mais!
Projeto Reviva o Óleo realiza premiação em Po... Leia Mais!
Mudas e sementes têm nova legislação Leia Mais!
SEFAC Inicia projetos de pesquisa e desenvolv... Leia Mais!